Domingo
20 de Outubro de 2019 - 
ADVOCACIA TRABALHISTA, CÍVEL E PREVIDENCIÁRIO
RIBEIRÃO PRETO E REGIÃO

Controle de Processos

Newsletter

Últimas notícias

Revolução Constitucionalista homenageada com música e poesia no Museu do TJSP

Evento contou com apresentação da Camerata da Polícia Militar.           Para relembrar e homenagear o 87º aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932, o Tribunal de Justiça de São Paulo promoveu hoje (11) evento cultural composto por apresentações musical e literária no Museu da Corte, sediado no Palacete Conde de Sarzedas. Assista aqui.         A Camerata da Polícia Militar, composta pelos músicos Soldado Paié (1º violino), Cabo Medeiros (2º violino), Cabo Isaías (viola), Cabo Leme (violoncelo) e Cabo Arão (contrabaixo), sob a regência do maestro 2º Sargento Isael, entoou clássicos como Minueto, de J.S. Bach; Humoreske, de Dvorak; Fibra de Herói, de Guerra Peixe; St. Paul’s Suíte, de Gustav Holst; Arrival of Queen of Sheba, de Handel; Amadeus, de Mozart; Rondó, de Henry Purcell e, para finalizar o concerto, a marcha Paris Belfort, de Antonin Xavier Farigoul, que se tornou o hino da Revolução de 1932.         Além da apresentação musical, os servidores e desembargadores puderam prestigiar declamação de poemas de Guilherme de Almeida, pai da revolução Constitucionalista, e de Paulo Bomfim, o príncipe dos poetas, lidos por Pedro Paulo Penna Trindade, diretor e membro do Conselho Cívico e Cultural da Associação Comercial de São Paulo, incluindo o texto de Paulo Bomfim “Eu te Amo São Paulo”.         Ao final do evento, o vice-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Artur Marques da Silva Filho, representando a Corte paulista, parabenizou o coordenador do Museu, desembargador Octavio Augusto Machado de Barros Filho, pelo trabalho à frente da instituição, e os músicos da Camerata da Polícia Militar, que resgataram um pouco da memória do Estado. “O que ouvimos hoje me fez lembrar do nosso poeta Paulo Bomfim, de Guilherme de Almeida e de todo o nosso passado, que devemos cultuar. Quando se resgata o 9 de Julho, queremos resgatar as melhores tradições do povo paulista. O Tribunal de Justiça de São Paulo teve uma participação muito forte nesta data - sabemos que pelo menos sete dos nossos contemporâneos participaram desse movimento revolucionário, como o desembargador Atugasmin Medici Filho”, relembrou o vice-presidente.         Prestigiaram o evento os desembargadores Maria Cristina Zucchi, Luiz Fernando Salles Rossi, Luiz Toloza Neto, João Batista Silvério da Silva e Alexandre Alves Lazzarini; o presidente do Centro das Tradições de Santo Amaro (Cetrasa), José Carlos Bruno; servidores da Justiça e público em geral.         Mais fotos no Flickr.                  imprensatj@tjsp.jus.br
11/07/2019 (00:00)
Visitas no site:  290919
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.